Textos para Discussão V. 24

Imprimir

Resumo

A colonização da região oeste do Estado do Paraná possui em sua história a união de dois processos, ao mesmo tempo em que era colonizada, era fortemente desbravada em suas matas, esta herança colonial refletiu em uma arquitetura regional peculiar, pois a abundância de matéria prima proporcionou por meio da ação dos imigrantes uma imagem característica para suas edificações em madeira.

Este processo se desenvolveu no interior do Estado num período paralelo ao Movimento Moderno que se firmava no país. Este contraponto entre a arquitetura vernacular do interior e a arquitetura moderna revela que os processos identitários envolvem uma gama de relações e conflitos e, embora se acredite ser o anseio do cidadão pós-moderno o desenvolvimento de sua própria identidade, ainda se percebe um caminho longo até o alcance de seus mais íntimos desejos de pertencimento e fixação de suas raízes nesta sociedade atual. Acredita-se que com a atual liberdade de expressão e pensamentos os cidadãos passem a ganhar força revestindo-se de uma real capacidade de gerir e produzir as próprias identidades. O desejo deste ambiente seguro, como experiência psicológica fundamental, induz uma âncora que se confronta com as angústias flutuantes e a falta de uma identidade constituída. É esta incerteza sobre o nosso lugar no mundo que faz surgir uma vontade permanente e irreversível de monumentalizar o Patrimônio Histórico e Cultural.

Silmara Dias Feiber

Texto discussão 24