Primeira aula presencial do Curso de Gestão de Restauro

E-mail Imprimir

O workshop sobre Paradoxos & Preservação foi realizado nos dias 26 e 27 de fevereiro passado, contando com a presença dos alunos da 5ª edição do Curso de Gestão e Prática de Obras de Conservação e Restauro do Patrimônio Cultural e a audiência de ex-alunos e sócios do CECI, bem como de profissionais inscritos.

O workshop teve dois momentos:

O sábado (26) foi aberto a todos e teve como foco o livro “Paradoxos Entrelaçados” (1) da professora Cêça Guimaraens (UFRJ). Trata-se de um livro sobre a relação entre a proteção do patrimônio histórico e planejamento urbano na área central do Rio de Janeiro. Repleto de citações literárias, polêmico, cujos estudos denunciam a construção de altos edifícios no entorno de prédios históricos, tombados no Centro da antiga capital do Brasil. Segundo a autora, IPHAN permitiu tamanho paradoxo, desde os primeiros anos de sua criação, ocorrida em 1938. Ricamente ilustrado, o livro apresenta os diversos espaços geográficos onde as contradições se mostram mais evidentes. Na oportunidade, os ouvintes puderam observar e analisar, através de imagens de época frente à atualidade, os exemplos mais evidentes: o Arco dos Teles, a Praça XV, o Largo da Carioca e a Cinelândia. O livro de Paradoxos Entrelaçados faz um histórico das origens da verticalidade na arquitetura carioca do centro da cidade. Mais informações sobre esse excelente trabalho da professora Cêça, podem ser obtidas nas resenhas de Carlos Kessel (057) e de Anita Regina di Marco (058)

O domingo foi restrito aos alunos da 5ª Edição do Curso de Gestão e Prática de Obras... A coordenação do curso selecionou sete trabalhos dos participantes para serem apresentados e analisados no contexto das recomendações e conceitos emanados pelas cartas de Veneza e de Burra. Foram destacadas as seguintes edificações:

A Sé de Olinda (PE), pela aluna Marina Campello Cabral; a Sinagoga Kahal Zur Israel (PE), pelas alunas Leila Maria de Barros e Silva e Patrícia Barbosa Acioli de Freitas; a Casa da Cultura (PE) pelo aluno Eduardo França; o Teatro Álvaro de Carvalho (SC) pela aluna Simone Harger; a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves (PB) pela aluna Ana Luíza Shuster; a Antiga sede da Fazenda do Leitão (MG), pelo aluno Sérgio Maranhão; a Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares (PE), pela aluna Mônica Harchambois. Os trabalhos foram amplamente discutidos nos pontos de conflitos com as recomendações nacionais e internacionais das cartas, bem como com os critérios mais avançados da conservação integrada.

Finalizando os trabalhos do workshop, os alunos participaram de uma vivência sobre percepção da realidade para contextualização das noções de autenticidade e verdade de um bem cultural.

A seguir, imagens dos principais momentos do workshop.

 

Cêça Guimaraens apresentando a Cidade Iphaniana no contexto do seu livro Paradoxos Entrelaçados

Debates a partir dos paradoxos entre a preservação da cidade do Rio de Janeiro e a verticalização pela construção das torres

Imagens dramáticas apresentadas pela prof. Cêça sobre a verticalização do Centro do Rio de Janeiro. A torre ao lado da Igreja de Santa Luzia é da Academia Brasileira de Letras (vista do prédio do Palácio da Cultura). Foi erguida sob os auspícios do IPHAN, enquanto construção devidamente aprovada por essa Entidade

A Igreja e Convento de Sto. Antonio submerso na paisagem urbana a partir de concessões de licenciamento devidamente aprovadas pelo IPHAN do então arquiteto e mestre Lúcio Costa

Igreja da Sé de Olinda contextualizada pela aluna Marina Cabral a partir das intervenções de restauro no início da década de 1970

Igreja da Sé de Olinda imagem a partir da conclusão das intervenções de restauro na década de 1980

Teatro Álvaro de Carvalho – TAC na cidade de Florianópolis contextualizado pela aluna, arquiteta Simone Harger. Imagem do teatro em 1950

Imagem atual do TAC a partir das intervenções de restauro no início desta década (2003)

Antiga sede da Fazenda Leitão em Belo Horizonte contextualizada pelo aluno, arquiteto Sérgio Maranhão. Imagem de um belo exemplar da arquitetura rural mineira do início do século 20

Imagem do Museu Histórico Abílio Barreto – MHAB, instalado na sede da antiga fazenda a partir de 1941

Sinagoga Kahal Zur Israel, localizada na Rua do Bom Jesus, no Recife, contextualizada pelas alunas Leila Maria Barros e Patrícia Barbosa

Reconstituição do templo da primeira sinagoga das Américas (século 17) a partir da correspondência com outros antigos centros comunais da religião judaica.

Casa de Cultura de Pernambuco contextualizada pelo aluno Eduardo França a partir da análise da instalação de elevadores panorâmicos nas alas da antiga Casa de Detenção do Recife

Pintura primitiva do forro da capela mor da Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares no Recife contextualizada pela aluna Mônica Harchambois

Igreja de São Frei Pedro Gonçalves na cidade João Pessoa (PB) contextualizada pela aluna Ana Luíza Schuster (2)

Imagem da nave da igreja após as intervenções de restauro a partir de 1999 (2)

Debates sobre as noções e conceitos sobre as cartas de Veneza e de Burra

Vivência sobre percepção da realidade para contextualização das noções de autenticidade e verdade de um bem cultural

(1) Paradoxos Entrelaçados, Guimaraens, Cêça - Editora UFRJ. Rio de Janeiro 2002
(2) Imagens do arquivo da Comissão Permanente de Desenvolvimento do Centro Histórico de João Pessoa- Paraíba

 

Projetos

Baltar Biblioteca

conservar_2

Pátio de São Pedro

plano-diretor

istmo

Leia a revista internacional

CT

Parceria voluntária

Lima_e_Silva_Advogado_e_Consultoria

 

 

 

Elaboração e acompanhamento de projetos de incentivos fiscais oferecidos em âmbito federal, estadual e municipal.

Você está aqui: Home Notícias Primeira aula presencial do Curso de Gestão de Restauro