Mapa de Danos - Uso de drone

E-mail Imprimir

torre-droneaO CECI utiliza um drone para a elaboração do mapa de danos das torres sineiras da Basílica de Nossa Senhora da Penha (Recife-PE).

O equipamento – um hexacóptero (oito hélices), pesando 2 quilos, sobrevoou as torres da Basílica nessa quarta-feira (16/jul/2014) para registrar as degradações nos revestimentos através de imagens em Full HD.
A necessidade do uso do drone deu-se em razão da impossibilidade de acessar todas as faces das torres em proximidade suficiente para as investigações ora em curso.
O equipamento – um hexacóptero (oito hélices), pesando 2 quilos, sobrevoou as torres da Basílica nessa quarta-feira (16/jul/2014) para registrar as degradações nos revestimentos através de imagens em Full HD. Um drone é um veículo aéreo remotamente pilotado , ou seja, todo e qualquer tipo de aeronave que não usa pilotos embarcados para ser guiada.
.
A necessidade do uso do drone deu-se em razão da impossibilidade de se acessar todas as faces das torres em proximidade suficiente para as prospecções das degradações. Esse trabalho faz parte das investigações para  elaboração do laudo técnico e da proposta (projeto) de consolidação e restauro das torres sineiras da Basílica da Penha do Recife.
.
Os trabalhos foram contratados pela Provìncia de Nossa Senhora da Penha do Nordeste do Brasil (PRONEB), através do Frei Luis de França Fernandes, OFMcap, com recursos provenientes das doações dos fiéis.
.
Estão sendo realizados:
.
1 - inspeções por Difração de Raios X com escaneamento e processamento de imagens dos nembos (pilaretes) que compõem o topo das torres;
2- simulação computacional com modelagem geométrica e análise dinâmica modal, além da análise de deslocamentos e tensões por meio de gráficos e isocurvas da região do topo da torre da Rua das Calçadas;
3 - exames dos materiais construtivos com retirada de amostras com equipamentos de baixa precursão e invasão;
4 - exames internos e externos para de testes de percussão e aderência dos revestimentos; mapeamento e qualificação de danos nos componentes construtivos;
5 - projeto de consolidação e restauro, com reforço estrutural (plantas, especificações, cadernos de encargos, orçamento e cronograma físico-financeiro).
.
Esse trabalhos visam atender à demanda do Poder Público para saber sobre os valores necessários à consolidação e restauro das torres (veja Opinão & Linksgerenciamento de riscos das edificações de valor cultural).
.
Os seguintes profissionais integram a equipe de trabalho:
.
a) Luciano de Oliveira Arruda,  engenharia civil pela Universidade Católica de Pernambuco – UCP (1995) e mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE (1998). Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Mecânica da Microeletrônica, atuando principalmente nos seguintes temas: método dos elementos finitos, aeroelasticidade, complexos industriais, gerenciamento de riscos tecnológicos e ambientais. Possui experiência na área de Engenharia Civil, com foco em consultoria, elaboração e coordenação de projetos, junto à UFPE e Universidade Estadual do Amazonas – UEA (2008-2010). Possui experiência científica e sua aplicação no produto na indústria da microeletrônica, atuando com grupos de projetos multidisciplinares na Finlândia, Alemanha, China e Cingapura
;
b) Antônio Carlos Costa, engenheiro civil pela Universidade Católica de Pernambuco – UCP, com especialização nas áreas de estrutura e edificações. Professor da Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco, ministrando as cadeiras de Mecânica dos Solos I e II, desde de agosto de 1982.
.
c) Carlos Welligton de Azevedo Pires Sobrinho, é engenharia civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (1985). Atualmente é professor assistente da Universidade de Pernambuco, coordenador de Curso de pós-graduação da Escola Politécnica de Pernambuco e pesquisador nível superior do Instituto de Tecnologia de Pernambuco – ITEP. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Materiais e Componentes de Construção, atuando principalmente nos seguintes temas: habitação, processo construtivo, patologia das construções, avaliação de desempenho de sistemas construtivos.
.
d) José Raimundo Oliva, é engenheiro civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – POLI/USP, é aposentado do IPHAN/PE, onde trabalhou mais de 20 anos com calculo estrutural em edificações de valor cultural.
.
e) Jorge Eduardo Lucena Tinoco, arquiteto (UFPE, 1976), especialista em conservação e restauração de monumentos e conjuntos históricos (UFMG, 1978), é professor do Curso de Gestão de Restauro e responsável técnico do CECI.
.
torre-drone drone_1
Drone sobrevoando a torre Sudeste. Drone da Latitude Oito, com câmera Full HD, utilizado nos serviços.
drone_2 drone_3
Engenheiro José Raimundo Oliva observando as tomadas de imagens. Imagem de uma das faces do coroamento piramidal da torre, mostrando a perda de uma das chapas de cobre de revestimento.
 

Projetos

Baltar Biblioteca

conservar_2

Pátio de São Pedro

plano-diretor

istmo

Leia a revista internacional

CT

Parceria voluntária

Lima_e_Silva_Advogado_e_Consultoria

 

 

 

Elaboração e acompanhamento de projetos de incentivos fiscais oferecidos em âmbito federal, estadual e municipal.

Você está aqui: Home